Jewel antes e atualmente (Foto: Reprodução/Barcroft TV)
Jewel antes e atualmente (Foto: Reprodução/Barcroft TV)

A americana Jewel Shuping, atualmente com 30 anos, sofre com Transtorno de Identidade de Integridade Corporal (TIIC), um raro distúrbio que faz a pessoa sentir-se desconfortável com o próprio corpo, como se estivesse carregando partes extras. No caso de Jewel, esse ‘excedente’ era a visão, que ela estava decidida a perder.

Diagnostica com TIIC, Jewel acredita que a fixação por ser cega tenha começado quando tinha seis anos de idade. “Minha mãe me dizia que se eu ficasse olhando demais para o sol, ficaria cega. Então eu ficava encarando o sol por horas. Pensar em ficar cega me fazia sentir confortável”, relembra.

Aos 18 anos, Jewel decidiu que perderia a visão de qualquer forma. Começou a ver um psicológo, que decidiu ajudá-la. O plano era colocar nos olhos da jovem algumas gotas de um produto químico corrosivo, geralmente usado para desentupir canos. “Enquanto o líquido descia pela minha bochecha, queimando minha pele, eu só conseguia pensar: ‘eu estou ficando cega, tudo vai ficar bem'”, conta ela ao Barcroft Media.

Jewel aos 16 e aos 30 anos (Foto: Reprodução/Barcroft TV)
Jewel aos 16 e aos 30 anos (Foto: Reprodução/Barcroft TV)

Levada para o hospital, os médicos tentaram salvar a visão de Jewel, que não queria voltar a ver. Seis meses depois, ela havia perdido o olho esquerdo, que foi removido, e não enxergava nada com o direito, que teve glaucoma e catarata.

“Quando eu tinha a minha visão que eu não me sentia bem. E me sinto mal pelas pessoas que estão cegas e não estão felizes, mas é isso o que eu quero “, Jewel ela. “Eu realmente sinto que este é o meu caminho, que eu deveria ter sido cega desde o nascimento”.

Após a atitude drástica, a família de Jewel acabou se afastando. “Quando ninguém ao seu redor se sente da mesma forma, você começa a pensar que está maluca. Mas eu não me sinto maluca, eu apenas tenho um distúrbio”, conta ela.

Jewel (Foto: Reprodução/Barcroft TV)
Jewel (Foto: Reprodução/Barcroft TV)

Mesmo feliz por ter realizado a vontade de ser cega, Jewel não recomenda que seu exemplo seja seguido. “Eu sei que pode parecer uma necessidade, mas talvez um dia exista tratamento para isso”, explica ela.

Agora, Jewel pretende espalhar sua história com o objetivo de ajudar pessoas com TICC e quer tornar a vida de deficientes visuais mais independente.

 

Assista ao relato – em inglês, sem legendas:

 

Transtorno 

O Transtorno de Identidade de Integridade Corporal (TIIC) ainda é considerado um distúrbio relativamente novo. As pessoas que sofrem com o TICC geralmente não se identificam com o próprio corpo. Muitas vezes, essas pessoas se sentem ‘sobrando’, como se tivessem alguma parte a mais e desejam ser amputadas.

O transtorno pode levar a um desejo incontrolável de perder algum membro do corpo e pode fazer a pessoa provocar acidentes que causem amputamentos ou mutilações

Comentários

Previous post

São Paulo terá Dia da Nutella de Graça em outubro

Next post

Gostosa de 49 anos ganha a vida fazendo vídeos de bikini